Eduardo Souto Moura

Onde Comprar
Transnética

LOJA UP

ISBN 978-989-98073-0-3

Edição CIAMH, FAUP

Ano 2013

Idioma Português

Número de Páginas 120

Dimensão 14.5x22cm

Sobre o colecção

“Trata-se de uma colecção de 19 entrevistas feitas pelo arquitecto Nuno Lacerda Lopes. São conversas entre arquitectos da Escola do Porto onde se procura compreender o processo de construção de um ideal de arquitectura, de profissão, de sociedade e de escola, tendo por base uma reflexão pessoal e aberta e até esclarecer as inquietações teóricas e práticas bem como as circunstâncias que fundamentam a arquitectura portuguesa dos dias de hoje.”

Excerto - primeira pergunta da entrevista a Eduardo Souto Moura

“Antes de mais, gostava de perguntar qual foi a tua formação? Quais foram os teus grandes ideais em termos de Arquitectura e quais foram as grandes influências...?

A minha primeira formação aconteceu nas Belas Artes. Cada vez lhe dou mais importância, porque na altura não havia praticamente aulas, eram experiências. Trabalhávamos no exterior, fazíamos umas reuniões e uns exercícios que pedagogicamente não eram muito clássicos. Cada vez mais, à medida que vou tendo mais anos, vou reconhecendo que houve situações desses tempos que me marcaram.

Por exemplo, as aulas de um professor meu, que já morreu, que não era um grande comunicador e que ainda por cima eram cedo (às oito e meia) e nós íamos cheios de sono. Mas, em termos teóricos, foi a primeira pessoa que eu me lembro de, no período de 1972, me falar do Rossi. Apresentava textos dele sobre a cidade e sobre a História, mas para nós a história não era assim uma coisa muito importante. Depois, no quarto ano, entrei para o escritório do Siza, onde fiquei e nunca mais saí. Ainda continuo a trabalhar com ele, fazemos alguns projectos juntos. Ele foi a figura mais representativa e marcante. Em termos de arquitectos da história, o Mies Van der Rohe e, em termos de arquitectos actuais, deve ser o Herzog.”